sábado, 27 de outubro de 2007

[Perg/Resp] Descobri um filho dele de 12 anos com outra *

Ele tem um filho de 12 anos c/ outra
Sou casada há 24 anos, duas filhas casadas (24 e 21) e uma de 18. Desde solteiro ele me traía. Depois teve casos com várias alunas e com a babá de minhas filhas. Então resolvi me mudar para o Rio (há 16 anos). Como prometeu mudar viemos todos, mas em fev/2006 descobri que meu marido é pai de um menino de 12 anos. Ele parou de pagar pensão ao menino (um ‘cala boca’ a ela, na verdade) que o levou à justiça e a intimação judicial veio parar em minhas mãos. Vivo minha vida ao lado de um homem que não conversa e só me humilha, pois paga as contas. Vivo um sentimento de invalidez e não consigo mais sonhar ou sorrir. Não sei o que é ser amada nem tenho mais vontade de viver. Sinto-me destruída e usada por um homem que só queria sexo e nunca me amou.
Miriam, 44, RJ.

Pelas minhas contas, você se casou com 20 anos e logo em seguida teve a primeira filha. No seu relato descreve as traições dele ainda namorados, e assim mesmo persistiu, acreditando que ele fosse mudar. O perdão de uma traição é algo de foro estritamente pessoal. Mas ele não parou, e com as filhas ainda pequenas continuou. Que amor é esse que você sentia (ou ainda sente) por ele que não fez algo para mudar? Com um currículo vasto em matéria de infidelidade surpreende você ir engolindo, engolindo... A troco de quê será? Medo de ficar sozinha com as filhas? (???)
Está clara a relação de dependência que você desde jovem aceitou, e talvez não tenha conseguido avaliar com ponderação os custos e os benefícios dessa relação a você.
A descoberta do filho de 12 anos foi o que você pode testemunhar. E o que não pode? Dá pra fazer alguma idéia? Bem, a julgar pelo que você coloca, ele fez bem mais do que você pensa que fez. Tudo isso me leva a pensar qual teria sido o motivo, pois até o amor uma hora dá um grito. Mas não, você passivamente aceitou tudo. As conseqüências chegam e às vezes chegam quando nada mais se pode fazer.
Somos todos responsáveis por tudo o que nos acontece. Podemos decidir diferente, dar novo rumo em nossas vidas, isso podemos. O que não dá é tomar uma decisão e depois nos queixarmos pelas conseqüências, tomar uma atitude (ser passivo é uma atitude também) e depois chorar. Desculpe-me se pareço duro, mas é uma lei física: “a toda ação corresponde uma reação”.
Olhe para frente, recomece a cada dia. O sol não cansa de raiar toda manhã!

P a r a   e n v i a r   p e r g u n t a s : gobett@tribunatp.com.br

Um comentário:

ATENÇÃO! Palavras ofensivas, spams, links serão removidos. Perguntas SOMENTE pelo pelo e-mail >> gobett@tribunatp.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...