quarta-feira, 4 de maio de 2011

0081 [Perg/Resp] Gosto dela mas não sei se é amor


Grávida do ex-namorado, usuário de drogas
Retomei um namoro da infância (10/12 anos) e em pouco tempo estávamos íntimos. Ela havia se separado há quatro meses. O ex é usuário de drogas e tentou me matar. Mudei-me com ela para longe sem registrar queixa policial. Já retornamos sem riscos, mas ela está grávida dele e ele só quer os direitos de pai.
Não sei se o que sinto é amor, compaixão, pena. Não tem quem a socorra, grávida, morando em casa com minha mãe. Desejo vê-la feliz, mas não acho que seja comigo e me sinto responsável por ela. Tentei terminar, mas a vi fragilizada e sem rumo. Não me contive e reatamos. Estou confuso e contra a parede.
Airton, 19.

Porque se sente responsável pelos tropeços da vida dela? Que participação teve nas decisões que ela tomou na vida? A culpa e/ou responsabilidade que carrega estão intimamente associadas ao grau de envolvimento com ela, a contar da infância. Na mesma esteira aparecem indícios de sua relação com a função paterna (pais) calcada na culpa.
Após a tentativa de homicídio foge levando-a consigo demonstrando uma atitude paternal, de zelo. Estou buscando uma nomeação possível ao seu gesto que se repete ao tentar romper o relacionamento. O recuo da decisão se funda em sentimentos de culpa, indo de encontro com seu desejo.
A tendência é reproduzir com ela o tipo de relação que um dia aprendeu – possivelmente com as figuras paternas – agora no lugar de protetor, mas também se julgando com direitos nem sempre seus.
#
P a r a   e n v i a r   p e r g u n t a s : gobett@tribunatp.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

:a   :b   :c   :d   :e   :f   :g   :h   :i   :j   :k   :l   :m   :n   :o   :p   :q   :r   :s   :t

ATENÇÃO! Palavras ofensivas, spams, links serão removidos. Perguntas SOMENTE pelo pelo e-mail >> gobett@tribunatp.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...